';

9. INOVAÇÃO E INFRAESTRUTURA

Construir infraestruturas resistentes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação

9.1 desenvolver infraestrutura de qualidade, confiável, sustentável e resiliente, incluindo infraestrutura regional e transfronteiriça, para apoiar o desenvolvimento econômico e o bem-estar humano, com foco no acesso equitativo e a preços acessíveis para todos

9.2 promover a industrialização inclusiva e sustentável e, até 2030, aumentar significativamente a participação da indústria no setor de emprego e no PIB, de acordo com as circunstâncias nacionais, e dobrar sua participação nos países menos desenvolvidos

9.3 aumentar o acesso das pequenas indústrias e outras empresas, particularmente em países em desenvolvimento, aos serviços financeiros, incluindo crédito acessível e sua integração em cadeias de valor e mercados

9.4 até 2030, modernizar a infraestrutura e reabilitar as indústrias para torná-las sustentáveis, com eficiência no uso de recursos aumentada e maior adoção de tecnologias e processos industriais limpos e ambientalmente corretos; com todos os países atuando de acordo com suas respectivas capacidades

9.5 fortalecer a pesquisa científica, melhorar as capacidades tecnológicas de setores industriais em todos os países, particularmente os países em desenvolvimento, inclusive, até 2030, incentivando a inovação e aumentando substancialmente o número de trabalhadores de P&D por milhão de pessoas e os gastos público e privado em P&D

9.a facilitar o desenvolvimento de infraestrutura sustentável e resiliente em países em desenvolvimento, por meio de maior apoio financeiro, tecnológico e técnico aos países africanos, aos países menos desenvolvidos (LDCs), aos países em desenvolvimento sem litoral (LLDCs) e aos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento (SIDS)

9.b apoiar o desenvolvimento tecnológico nacional, pesquisa e inovação nos países em desenvolvimento, inclusive garantindo um ambiente político propício para, entre outras coisas, diversificação industrial e agregação de valor às commodities

9.c aumentar significativamente o acesso às TIC, e procurar ao máximo oferecer acesso universal e acessível à internet nos países menos desenvolvidos, até 2020

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), criado em 2007, se constitui em um conjunto de ações para planejamento e execução de obras de infraestrutura social, urbana, logística e energética do país, com foco no desenvolvimento acelerado e sustentável.

Segundo a Constituição Federal, é atribuição da União explorar diretamente ou por concessão ou permissão os serviços de transporte ferroviário e aquaviário entre portos, o transporte interestadual e internacional, a navegação aérea, os serviços e instalações de energia elétrica e os serviços de radiodifusão.

Uma das ações do governo federal no setor é o Programa de Investimento em Logística (PIL), que pretende incrementar a infraestrutura de transportes no país, trabalhando com investimentos em rodovias, ferrovias, portos e aeroportos.

Ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior cabem, entre outras atividades, a política de desenvolvimento da indústria, do comércio e de serviços, as políticas de comércio exterior, a propriedade intelectual e a transferência de tecnologia.

Para isso, conta com, por exemplo, o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), empresa pública federal que trabalha com o financiamento de longo prazo para investimentos. Há linhas de apoio para inovação, desenvolvimento local e regional e desenvolvimento socioambiental, entre outras.

Há ainda o Portal Inovação, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, criado para fornecer informações a empresas, fomentadoras e pesquisadores sobre a rede de inovação no país.

A ampliação do acesso às Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) é alvo do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), que tem o objetivo principal de massificar o acesso à internet em banda larga no país, principalmente nas regiões mais carentes da tecnologia.

Os restos de comida, talos e outros resíduos orgânicos viram um fertilizante sólido totalmente orgânico. A máquina é capaz de reduzir o descarte de resíduos orgânicos de uma família em

Continue

Apenas entre 2015 e 2016 o número de ciclistas urbanos subiu mais de 15%. Copenhague já tem mais bicicletas do que carros rodando diariamente.   Copenhague é conhecida mundialmente como o

Continue

Em 2011, os meios de transporte mais usados de Barcelona eram o transporte público (39,9%) e as caminhadas (31,9%). Logo atrás vinha o automóvel particular (26,7%) e, por último, a bicicleta

Continue

Se você sonha em produzir seus próprios alimentos em casa, mas já se conformou em desistir da ideia porque ‘mora na cidade e não tem espaço’, precisa conhecer o casal

Continue
INPE disponibiliza imagens de alta resolução para auxiliar no planejamento urbano das cidades brasileiras

via INPE   A administração pública (federal, estadual e municipal) ganhou uma importante ferramenta para o planejamento urbano, monitoramento ambiental e elaboração de projetos de infraestrutura. Imagens de satélites de

Continue

Modelo aplicado nas cidades de São Paulo, Boston, Copenhague, Deli , Londres e Melbourne foi capaz de reduzir doenças crônicas, lesões de trânsito e a poluição do ar    

Continue